storychaPTER I: KNIGHTS OF LORENGRIM

Mil anos atrás aconteceu o grande êxodo de anglein, onde o povo de lorengrin guiados pela donzela de luz, Myria, com seu escudo estelar que iluminou os caminhos nas turvas águas do tempestuoso oceano leste sob a luz de estrelas moribundas, enquanto fugiam da fúria de Aecthalon que puniu o povo da antiga Lorengrin, que sempre desfrutou de grande prosperidade e abundância graças a sua submissão a vontade dos guias de luz que guardavam suas terras, mas quando as ambições e ganância dos grandes reis da antiga lorengrim o fizeram apontar suas espadas para os próprios deuses, embriagados pelo enorme poder das regalias, ato que é conhecido como o primeiro pecado, os guias de luz jogaram contra esse povo diversas indignidades e o amaldiçoaram, destinados a se espalharem pelo mundo, serem párias em terras estrangeiras, até se redimirem.

Myria então guiou o povo até as costas do continente de Lavian, onde então o povo de Lorengrim se estabeleceu nas terras do Rei Dana de Midras, estabelecendo a nova capital de Lorengrim, o reino de midras tomou a ação como um ultraje e invasão, enquanto o povo de lorengrim dizia que era este o local que os deuses o guiaram para seu exilio.

Logo após a chegada do povo de Lorengrim ao continente de lavian, e do sacrifício de Myria na travessia do oceano, desastres e desgraças começarem a ocorrer por toda a terra, anões e gnomos apareciam deformados em horríveis zombarias de suas antigas formas, animais se tornaram agressivos, e por toda terra monstros e espíritos malignos surgiram, esse fato passou a ser conhecido como “A maldição de anglain” que segue todo o povo de lorengrim

Diante desses fatos, o Rei de midhras declarrou guerra contra lorengrim, os acusando de serem demônios, o que ficou conhecida como a primeira guerra de purificação, onde o povo de lorengrim, que apesar de uma feroz resistência, foram perseguido, morto e algumas vezes escravizados durante 5 anos de conflito nas fronteiras que hoje formam a parte norte da fronteira das terras de Lorengrim.

O conflito apenas acabou, quando os elfos do oeste, interferiram, clamando um fim da guerra que estava colando o equilíbrio de forças conhecidas apenas pelos elfos e suas afinidades místicas.

Usando sua enorme força militar, pós um fim, e colocou o reino de Lorengrim sob sua proteção, ameaçando Midras uma retaliação caso acontecesse uma nova agressão, então foi formada uma trégua desconfortável, em que o povo de Lorengrim foi selado e preso as fronteiras de suas terras ao sul do continente de lavian, proibidos de sair sob pena de morte, onde os elfos colocaram diversos encantamentos para conter o mal ali contidos, transformando Lorengrim na prática em um estado vassalo de Synfelheim , que apesar da aparente proteção, tratam o povo de lorengrim com distância e desprezo, impondo sobre eles a ocupação de suas fronteiras com tropas.

Sob esse cenário, o conflito passou, e veio a estabilidade, e diversas gerações de reis de lorengrim passaram, membros do grupo de nobres que conseguiram fugir com Myria dos tempos do cataclismo de anglein, e nas terras de lorengrim prosperou um grande culto religioso, conhecido como a “Fé de Myria” em que, onde o povo de lorengrim acredita que Myria, que desapareceu após a travessia dos oceanos, irá um dia retornar para guiar o povo de lorengrim para sua terra perdida de anglain, e para isso, é necessário encontrar as regalias, artefatos sagrados do povo de lorengrim, de grande poder, e de grande perigo, para então se redimirem de seu grande primeiro pecado, e serem dignos de voltar a suas terras.

Mas enquanto isso, um novo rei de midras enfrenta dificuldades como recentes guerras ao norte, e o povo de midras, que sofre e passa dificuldade, torna seus olhos para o sul, para as terras de Lorengrim, que outrora foram suas, e clamam que seu sofrimento e dificuldades são culpa do povo amaldiçoado de Lorengrim, e mesmo cobrando pesados impostos e tributos, estão voltando a tomar ações militares agressivas, enquanto os elfos parecem não se importar mais com um conflito, e são nessas circunstâncias, que novos aventureiros das províncias perdidas de lorengrim pela nova ofensiva de midras, devem se juntar aos esforços militares da Ordem de Lorengrim, e testemunhar o futuro dessa saga.